Dirigido por Marc Forster
Dirigido por Marc Forster

Um homem é recrutado para liderar o combate ao surto zumbi, acontecendo simultaneamente em todo o mundo.

 

 

 

 

O filme poderia ser resumido facilmente, mas não é pela clareza do roteiro. Brad Pitt está em um lugar, pensando que está seguro. Até que os zumbis aparecem, matando um monte de gente. Brad escapa para a próxima locação, onde pensa que está seguro, até que os zumbis aparecem… Brad escapa… locação nova… mortes… Mas esta repetição não deixa o filme previsível, ou chato.

O famoso dono de belos olhos azuis, é o pai e está em casa no estilo John Lennon. Parou de trabalhar para cuidar das filhas. Não sei se a esposa está sustentando a família, porque não há tempo para saber muita coisa. Presos no trânsito de manhã, a caminho da escola, a família Lane, junto com o resto dos moradores da Philadelphia, passa por um massacre, que o filme Extermínio não teve o orçamento para mostrar.

Até que os cidadãos estejam cara a cara com a morte, notícias de um surto de raiva pipocavam por todo o mundo, mas ninguém estava prestando muita atenção. No acontecimento em questão, vemos muita gente correndo, mas não se sabe ao certo de onde o perigo está vindo. A aposta é usar o caos da situação, para filmar a cena do primeiro ataque de forma confusa. Pode ser um truque, para distrair o público do fato de que, mesmo com tantos figurantes, não vemos muito sangue, ou infectados que não pertençam ao sexo masculino e a uma faixa etária aceitável moralmente.

World-War-Z-1Os zumbis, são chamados de zumbis, chutando para longe a cautela dos filmes de terror modernos. Eles não correm como pessoas normais, correm como maratonistas. São fortes e ágeis, invadindo esconderijos e espalhando o vírus rapidamente. A família de Brad tem vantagens em relação às outras, por conta do antigo emprego dele e os Lane se refugiam em um porta-aviões da Onu. Mas o privilégio não vem de graça.

A boa notícia, é que com tantas locações, o filme não fica restrito aos Estados Unidos. Se a guerra é pra ser mundial, vamos ver o mundo. Brad se torna o responsável por um grandioso trabalho de investigação, para assegurar o lugar da família na base naval. A má notícia é a sua incrível boa sorte, com o absurdo trabalhando a seu favor. Aí você sorri maliciosamente e pensa: Mais absurdo do que mortos andando? E eu já digo: Ah, vá! Que os mortos se levantem em paz! Mantemos uma narrativa plausível, ou o filme se transforma em um desenho animado.

As cenas de ação melhoram, sempre que esquecem que o filme custou caro e para ter retorno, precisa agradar as pessoas mais sensíveis. A câmera segue um zumbi, enquanto ele corre e se joga de um predio. Centenas deles se empilham uns sobre os outros como formigas, tentando escalar uma muralha. São bons exemplos de como usar os vastos recursos financeiros, para criar imagens memoráveis. Mas nada supera a simplicidade de um ataque em um local pequeno. Os sobreviventes, com um mundo cada vez mais vazio a sua disposição, aumentam a tensão. se confinando em locais cada vez menores.

world-war-z-2Guerra Mundial Z acaba com grande parte da população mundial, mas precisava matar mais. Na verdade, precisa deixar claro que está matando. É um medo tão grande, de receber uma classificação etária que prejudique o desempenho do filme nos cinemas, que nem os mortos são muito maltratados. É um filme de ação, mas isso não o torna ruim, só o deixa mais leve.

Sem poder correr, ou se esconder por muito tempo, a solução para o combate com um inimigo tão feroz, é a observação, mesmo que o objeto de estudo esteja fora de controle. Brad, é um pai exemplar dentro e fora das telas, mas isso faz dele o homem certo para a tarefa? Sim! Ele sabe que é importante ficar atento aos costumes dos seres sob sua responsabilidade. Principalmente quando o caos que reina ao redor, não interfere com a exigência no paladar, das filhas ou dos zumbis.

Advertisements