Dirigido por Scott Derrickson
Dirigido por Scott Derrickson

Baseado na história real de um padre que foi processado por assassinato, após realizar um ritual de exorcismo em uma devota.

 

 

 

 

 

Esse era o grande chamariz na época do lançamento. Pegar carona em O Exorcista, um dos filmes mais famosos e assustadores de todos os tempos, tentando se destacar como aquele que contará a história verdadeira, ou neste caso, a história que mais se aproxima dos eventos ocorridos com uma jovem alemã, nos anos 70.

Os seis demônios que tomaram conta do corpo de Emily, são a causa do problema, mas eles não conduzirão a história. Nem a própria Emily ou o seu exorcismo, apesar do nome no título. A trilha sonora é típica de reportagens investigativas e não existe conclusão sobre a verdade. Tudo indica que este é um filme de tribunal, e o julgamento é o protagonista.

the-exorcism-of-emily-rose1“A explicação mais simples, geralmente é a certa”, portanto, existe uma grande chance da garota ter sido esquizofrênica. A comoção é compreensível e o crime, se existiu um, é perdoável. A família numerosa, muito simples e religiosa, presenciou a drástica mudança na personalidade de Emily, cedendo ao diagnóstico da autoridade com quem tinha mais contato.

O padre Moore recebe sua ambiciosa advogada Erin, com a decisão tomada. Dentro de uma cela e com a possibilidade de não sair de lá por muito tempo, ele rejeita o acordo com a promotoria e segue para o julgamento. A acusação é de homicídio por negligência, mas o padre está mais preocupado em contar a história da vítima, do que em ser condenado.

O sonho de ser professora a fez deixar a família e ir para a universidade, onde foi feliz por um tempo. Mas na primeira noite em que Emily fica sozinha em seu quarto, ela é atacada por algo que não pode ver. Nos dias que se seguem, ela começa a ver até demais. Os efeitos demoníacos não são novidade, mas impressionam pelo fato de a garota não estar em uma casa mal assombrada. Ela está na sala de aula, ou no refeitório, cercada de gente e sem saber como pedir ajuda. Com o tempo, a garota para de comer e os seus hematomas vão se multiplicando. Quando o filme começa, já sabemos que ela não resistiu e morreu.

the-exorcism-of-emily-rose2Metade do filme, mostra a advogada de defesa apanhando feio do promotor no tribunal, enquanto tenta convencer o cliente a ser mais prático e menos supersticioso. É a teoria da menina epiléptica, recebendo um tratamento medieval das mãos de um religioso. A outra metade, que é mostrada alternadamente, coloca O Exorcismo de Emily Rose na categoria terror, com a possibilidade do padre estar certo.

A teoria da possessão, é alimentada por detalhes que não podem ser explicados racionalmente. Ela ganha força a cada novo depoimento, fazendo com que não seja uma escolha pessoal, em que metade do filme acreditar. O exorcismo, funcionando ou não, é muito mais interessante do que assustador. Outra estratégia de marketing era a famosa fita com o áudio do ritual. Não é verdade, mas rumores circulavam na época, dizendo que a gravação era autêntica.

O filme não foi feito para apavorar, mas para fazer com que as pessoas duvidem das suas crenças. Ele termina em cima do muro, mas levemente inclinado. O truque era colocar somente a suposta possuída em perigo, mas deixar o resto dos envolvidos sofrendo com a própria paranóia. Podemos nos lembrar das atrocidades cometidas em nome da religião e terminar de assistir ao filme, sem nenhum trauma imediato, mas Deus nos ajude, se acordarmos de repente, às três da manhã.

Advertisements