A seleção de trailers abaixo é pessoal e nada tem a ver com a qualidade dos filmes que eles promovem. Pra mim, estes são alguns dos mais assustadores, divertidos e eficientes trabalhos de marketing do cinema de terror. O gênero tem muitos segmentos e dentro dele, diferentes trailers servem diferentes propósitos, apesar do principal ser vender o filme, então eu vou me abster de fazer uma contagem regressiva. Cada um deles é importante da sua maneira e nenhum perde o encanto, mesmo depois de conferir que o filme em questão não é grande coisa.

 

A PROFECIA (THE OMEN) – 2006

Já era do conhecimento dos fãs que um remake do filme de 76 estava em produção e entre cinéfilos existe muita apreensão quando um clássico recebe uma repaginada. Este trailer foi feito para acalmar os corações dos fãs do original. Os puristas, que já conheciam a história, não precisavam de nada além de breves referências para entender do que se tratava e se alguém ainda tinha dúvidas sobre Damien ser um vilão forte para o público atual, a atmosfera criada por este teaser proporcionou a resposta.

 

SUSPIRIA – 1977

O trailer de Suspiria é como aquele colega que adora fazer pegadinhas de susto só pra ver a sua reação. E você com a cara emburrada e o coração acelerado depois do mini ataque cardíaco diz pra ele: Não tem graça!

 

RESIDENT EVIL 2 (RESIDENT EVIL – APOCALYPSE) – 2004

Um desavisado no Youtube poderia assistir aos primeiros segundos deste trailer e procurar o botão skip, porque a ideia era realmente fazer com que parecesse um comercial de cosméticos Se não fosse pela embalagem do produto “Regenerate”, bem parecida com outro recipiente da maligna Umbrella Corporation, muito fã de terror não teria associado o creme à catástrofe iminente, antes do final mostrando os efeitos colaterais. Regenerate promete trazer células mortas de volta a vida, como um milagre! Pois é Umbrella, esse milagre foi exatamente o problema!

 

A HORA DO PESADELO 3 (A NIGHTMARE ON ELM STREET 3) – 1987

Caraca, que susto da penga! E logo enquanto você tenta memorizar a música tema do Freddy!

 

O EXORCISTA (THE EXORCIST) – 1973

Esse não era para os fracos do coração. Uma verdadeira aula de como deixar o seu público previamente apavorado e ao mesmo tempo, louco para ver o seu filme. O trailer era um aviso para quem não gosta do gênero e um desafio para quem o ama. William Friedkin queria nos dizer, que o filme que ele estava fazendo iria nos manter com medo para sempre. Ele não estava exagerando.

 

Os Trailers de GRINDHOUSE – 2007

Uma ideia maravilhosa dos diretores Quentin Tarantino e Robert Rodriguez, foi chamar seus amigos mais trash para criar uma série de trailers falsos, para preceder Planeta Terror e À Prova da Morte. Como os filmes eram uma homenagem às produções toscas de terror que passavam em drive ins há décadas atrás, os trailers teriam que ser igualmente fiéis ao que o gênero tinha de mais mal feito e hilário (com direito a um comercial de restaurante local no meio). O trailer Machete fez tanto sucesso que virou longa, o restante é um festival super bem produzido para parecer cafona, do mais carinhoso tributo ao próprio Grindhouse. Don’t!

 

A BRUXA DE BLAIR (THE BLAIR WITCH PROJECT) – 1999

Um dia qualquer em 1999…

“Você viu o trailer novo que saiu? Da Bruxa?”

“Não, é bom?”

“Então, tão dizendo que o negócio é real.”

“Oi? Como assim?”

“Os caras que fizeram um documentário sobre ela sumiram na floresta. Só acharam as filmagens agora!”

“Tá brincado! Eu preciso ver isto!”

 

O RETORNO DOS MALDITOS (THE HILLS HAVE EYES 2) – 2007

O filme foi uma sequência desnecessária, mas o trailer é uma maravilha! Trilha em evidência, sem diálogos, o belo mas traiçoeiro cenário do deserto americano e a sensação de estar na pele de uma das vítimas dos malditos. Assista com o full screen ativado.

 

O ILUMINADO (THE SHINING) – 1980

Nos dias de hoje, dá pra fazer quase tudo com computação gráfica, mas no início dos anos 80, todo muito sabia que uma cena em que as portas de um elevador se abrem liberando uma piscina de sangue, tinha que ter sido feita na raça. Como propaganda, não era preciso mais do que isso. Antes de ver o filme, o trailer intriga, depois, ele se torna uma porção arrepiante de um conjunto de elementos que fazem de O Iluminado uma obra prima.

 

MADRUGADA DOS MORTOS (DAWN OF THE DEAD) – 2004

Da noite para o dia, o inferno chega na terra nesta competente versão da história de George Romero. Um dos pouquíssimos filmes de Zach Snyder que valem a pena e o trailer reflete tudo isso muito bem, com um twist no final, para aqueles entre nós que tiveram a sorte de vê-lo no cinema.

 

VÔO NOTURNO (RED EYE) – 2005

Eu me lembro de ter visto este pela primeira vez, ao lado de uma pessoa que foge de filmes de terror como o diabo foge da cruz. Vôo Noturno não é exatamente um filme de terror, mas isso não importou para a minha pobre amiga, quando o efeito de “sangue nozóio” do ator Cillian Murphy apareceu e deu a entender que o filme era sobrenatural. Traumatizante! O pior é que o começo do trailer engana com a ideia de se tratar de uma comédia romântica. Sacanagem, tadinha!

 

O MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA (THE TEXAS CHAINSAW MASSACRE) 1974

Ah, os anos 70 e sua técnica imbatível de criar hype! “Este é o filme mais assustador já feito!”, “Vai te enlouquecer!”, “Quando você finalmente parar de gritar, não vai conseguir para de falar sobre o filme!”. O dublador do trailer é praticamente um mestre de cerimônias em um circo de horrores. “Se aproximem! Venham conferir!” O negócio é que ele estava certo, porque foi realmente um filme que mudou o terror para sempre.

 

INVOCAÇÃO DO MAL (THE CONJURING) – 2013

Apenas com o trailer, você já se apaixona por Ed e Lorraine Warren. Apenas com o trailer, você se importa com o destino da família. O que James Wan queria com o lançamento do trailer de Invocação do Mal, era dizer para fãs e principalmente diretores de terror que os padrões estavam oficialmente mais altos. Chega de colocar qualquer coisa no cinema com alguns jump scares e chamar de horror. A categoria agora tem que possuir elegância!

 

CLOVERFIELD – O MONSTRO – 2008

Uma festa de despedida, uma câmera na mão e pronto, sabemos que se trata de um falso documentário. Fica meio confuso assim que começam as explosões, a gritaria e a correria, mas quando um dos maiores e mais famosos monumentos norte-americanos é destruído como se não fosse nada, a gente não precisa de nenhuma cena mostrando a criatura para imagina o tamanho dela. Um dos trailers mais eficazes em chamar a galera pro cinema.

Advertisements