Estudantes de cinema estão sendo atormentados por um engomadinho sem rosto.

Dizem que o que aparece na internet nela permanece para sempre, pelo milagre da multiplicação dos compartilhamentos, sempre bem mais ágil do que o arrependimento pela publicação do que pode ser impróprio, difamatório ou até ilegal. É fácil descobrir a procedência de uma postagem, mesmo depois do efeito viral já que nada se perde na web, mas ainda que existam registros sobre quem criou o personagem conhecido como Slenderman, a internet não quis perder a oportunidade de criar um mito. Apresentado pela primeira vez como um simples trabalho de photoshop para um site de terror, a figura sofisticada, de membros exagerados e sem feições que o identifiquem, foi rapidamente cativando inúmeros fãs que o incluíram em outros trabalhos de arte, em contos literários e video games, expandindo a lenda de um ser que nem história tinha. O ápice da fama foi quando o personagem se tornou peça chave em uma série de atos violentos, como suicídios e tentativas de assassinato. Um incidente em particular, envolvia duas adolescentes que quase conseguiram matar uma amiga, com a intenção de usá-la como uma oferenda a Slenderman.

Os criadores da websérie Marble Hornets, publicada no Youtube pela primeira vez em 2009, em 26 vídeos de curta duração, não planejavam ser uma espécie de voz decisiva sobre as origens da lenda. Não espere ver por exemplo um executivo de uma multinacional que perde a alma, mas não a aparência de homem de negócios, em um acordo imoral com o capiroto. Toda a ambição por trás do trabalho, realizado logo após o primeiro contato de Slenderman com o mundo, era usar a lenda para apavorar o público. Com truques herdados de A Bruxa de Blair e exibindo a mesma característica amadora, porém cheia de charme dos meus curtas da faculdade, eles conseguiram exatamente o que queriam: criar uma atmosfera de pavor estrelando um folclore em ascensão, sem o peso da responsabilidade com uma narrativa que um filme normal teria.

MARBLE HORNETS ok

Sem que hajam autores oficiais, a série começa no Youtube com um episódio introdutório de apenas 2 minutos. Nele se explica que Marble Hornets era pra ser um filme de faculdade, mas as fitas que vão aparecer nos episódios seguintes não serão postadas pelo diretor. Quatro anos antes, Alex abandonou a produção, relutantemente entregou as fitas para o amigo Jay, pediu para que tudo fosse esquecido e se mudou para outra cidade. O pedido foi atendido, tanto é que Jay só se lembrou das fitas quando as encontrou em casa por acaso. Seja uma ou duas vezes por dia, ou uma vez por semana, os vídeos são postados sem muito compromisso. Tudo planejado é claro, para parecer que Jay está realmente assistindo horas e horas de gravação e só publica o que acha relevante. Sem data ou qualquer identificação, as fitas revelam problemas de produção, atores sem inspiração e a falta de paciência do diretor, só não revelam o que deveria ter sido o verdadeiro plot de Marble Hornets. Sem narração e usando apenas cartelas com legendas para explicar o que está para ser mostrado, os vídeos mostram algo bem mais importante do que o curta de Alex deveria ter sido, que é a presença constante de um intruso no set de filmagem, aparentando ter saído diretamente de uma reunião de negócios. Em alguns vídeos ele é discreto, chamando a atenção apenas de quem vê as postagens de Jay, mas na maioria das vezes a equipe está ciente do figurante e se vê forçada a interromper os trabalhos.

Não há o mínimo problema na falta de uma narrativa linear, quando o primeiro vídeo logo após a introdução, já mostra Alex paranoico e deixando o curta um pouco de lado para gravar a própria rotina, e mostrar que a perseguição do Slenderman não tem motivação profissional. Nossa única ligação com uma progressão natural de eventos, é Jay em sua busca pelo real motivo do declínio na saúde de Alex. Nas suas buscas, ele encontra cada vez mais aparições da entidade sem rosto e também imagens suas participando do curta de maneira informal. São cenas que ele diz não lembrar de ter feito, o que aumenta sua curiosidade para investigar profundamente o que está acontecendo. Sua obsessão nos rende continuidade mas o faz cometer um grande erro. Ele começa a gravar a si mesmo, como se tomasse as rédeas da produção e acaba se tornando o novo diretor de Marble Hornets.

MARBLE HORNETS 2

A websérie tem três temporadas com episódios de no máximo 15 minutos, sendo a série de terror mais rápida para se fazer uma maratona. Isso se você aguentar a tensão que os curtas causam, sem dar uma de Alex e abandonar o projeto também. Algumas postagens são bem repetitivas e você se pergunta quantas vezes o cara do terninho pode aparecer atrás de um arbusto até nos cansar, mas até essa avacalhação com o modo de contar a história serve para deixá-la mais realista. Ao contrário de A Bruxa de Blair, onde a regra era procurar formas e sombras na floresta vazia, Marble Hornets nos poupa dessa atividade, já que mostra slenderman quando tem que mostrar. Por este mesmo motivo, no entanto, Hornets me enganou com uma sequência muito bem feita onde Jay está lendo as falas do curta para ajudar Alex com alguma coisa. É a primeira aparição de Jay depois da postagem de diversos vídeos, portanto ele deveria ser o foco da cena (e da câmera) e isso não acontece, mesmo assim, eu só percebi a presença sinistra bem próxima do lado de fora da janela, quando voltei o vídeo para entender porque ele começou a ter falhas técnicas. É uma obra que como a própria lenda, não tem muita história e se alimenta do medo, estando disponível no youtube com legendas em português.

Advertisements