Para os fãs de terror com pouco tempo para curtí-lo, o que não falta pela web são os curta-metragens dos mais variados estilos, que provam que um bom susto não precisa vir acompanhado de muita antecipação. Eu optei por começar esta primeira seleção (primeira de muitas eu espero, porque o material é extenso) com filmes que não só se encaixam entre os bons exemplos esperados em listas como esta, mas era importante também, com respeito ao leitor, priorizar trabalhos com pouco ou nenhum diálogo, para que todos possam apreciar mesmo sem legendas.

Still Life – (8:49)

Parece um episódio de Além da Imaginação e talvez seja mesmo. Um homem está passando de carro por uma cidade muito calma. Distraído, ele causa um atropelamento e fica preso no local. Ninguém conversa, já que a cidade é “habitada” por manequins, mas eles deixam de ser tímidos, quando não tem ninguém olhando. O filme causa terror de uma forma bem interessante, como se fosse uma sequência de fotografias, onde objetos se aproximam da câmera, a cada nova imagem. Tem um twist bem legal no final também.

Don’t Move – (13:56)

Seis jovens (guarde este número porque ele é importante) e um demônio com problemas de visão, em um curta sobre péssimas decisões e o valor da amizade. Os atores quase não se mexem, mas o filme não é nem um pouco parado, como em uma brincadeira de estátua onde prêmio é a própria vida.

Unedited Footage of a Bear – (10:29)

Eu presumo que você já tenha ouvido falar em Adult Swim, aquela programação noturna do canal a cabo Cartoon Network, feita só para adultos. Há algum tempo os criadores de conteúdo do canal resolveram fazer curtas que não envolviam animação, sacaneando os infomerciais, com a propaganda falsa de produtos que nunca poderiam existir. O curta a seguir, é um desses infomerciais, que começa como um vídeo caseiro mostrando um urso de verdade, supostamente capturado por entusiastas naturebas, só que após alguns segundos, o vídeo é interrompido por um comercial de um medicamento para gripe, como se fosse um vídeo real do youtube com direito ao botão para pular a publicidade. Só que o botão não é real e o verdadeiro vídeo segue, como uma das obras mais incômodas, surreais e assustadoras que eu já ví, independente dos toques de humor tão presentes nos antecessores. Quando estreou no canal infantil, o vídeo foi um assunto extremamente comentado e analisado nos dias que se seguiram, por diversos blogs, jornais e revistas. Se o público que assistiu o vídeo em primeira mão de madrugada, já estava vendo tv tão tarde por não conseguir dormir, o Cartoon fez questão de que todos permaneceriam acordados.

Lights Out – (2:42)

O mais curto da lista. Nenhuma palavra ou explicação, apenas o suficiente para confirmar o maior dos medos: sim, existe diferença entre o que acontece em casa durante o dia e durante a noite. Vencedor de prêmios, este filme mostra uma senhora que mora sozinha, não em uma casa isolada, porque eu tenho certeza de que ela tem vizinhos, mas isso não a ajuda. Ela está se preparando para dormir, quando algo chama a sua atenção.

Aftermath – (31:52)

O que este curta (meio longo) ainda está fazendo no youtube, com o risco de ser visto por qualquer um, é um mistério para mim. Aftermath faz uma visita sem censura a um necrotério, surpreendendo pelo realismo e apavorando pela ficção. Sem diálogos, mas com atenção especial para trilha e efeitos sonoros, o filme mostra a princípio, os procedimentos quase mecânicos nos cuidados com corpos produzidos por mortes violentas. Nada é escondido ou suavizado, mas o trabalho costumeiro dos legistas, apesar de ser mostrado de forma explícita, não é nem de perto o que gera a polêmica no filme. Doentia, mal descreve esta obra onde o maior crime é a falta de respeito, mas ajuda a explicar a atração de determinados profissionais por certas áreas de atuação.

Think About This – (5:39)

Com a desculpa de alertar trabalhadores em situações de risco, este definitivamente falso vídeo institucional seria apenas uma piada de mal gosto, não fosse pelos acidentes grotescos e em grande quantidade, principalmente se você pensa na duração do filme, mostrando amputações, queimaduras, explosões e mortes, seja de forma realista ou exagerada, com o acompanhamento de uma canção que rompe com o decoro coorporativo. É uma espécie de slasher com causa, que satiriza perfeitamente aqueles vídeos de segurança no trabalho chatíssimos, com a cara dos anos 80, do qual poucos funcionários conseguiram escapar.

Cargo – (7:04)

Se acontecer, nem todos os sobreviventes estarão por conta própria…O que é pior do que um apocalipse zumbi? Fugir sozinho? Fugir mordido? Que tal fugir contaminado, levando alguém que depende totalmente de você? Neste angustiante curta australiano sobre amor incondicional, um homem ignora que o seu tempo está se esgotando, para tentar salvar a mais preciosa das cargas.

Advertisements