Dirigido por Tod Browning
Dirigido por Tod Browning

Atrações secundárias de um circo, precisam se unir contra uma perigosa intrusa.

Eu não tive a sorte de encontrar a versão completa do filme e temo que ela nem exista mais. As reações das primeiras platéias na época do lançamento, foram tão revoltadas, que o estúdio resolveu cortar boa parte da história, para não sair no prejuízo. Não sobrou muito tempo para mostrar os talentos no palco, mas isso funciona porque deixa o filme centrado nos bastidores e porque sem mostrar os suspiros exagerados do público, diante de pessoas tão exóticas, as nossas reações não sofrem influência.

Browning não se preocupou em preparar o terreno e foi mostrando todas as “aberrações”, uma após a outra, sem medo. O título do filme é todo o sinal de aviso que ele acha que precisamos. Não são os melhores atores do mundo, são pessoas autênticas nos papéis, sem truques. No circo, eles não são artistas, são atrações e a maioria só precisa estar lá e se deixar ver.

freaks-01Mesmo que levem a vida que suas aparências sugerem, não existem dificuldades insuperáveis. As siamesas têm vidas completamente separadas. O homem sem braços nem pernas, não pede ajuda para acender o cigarro. Eles ditam as regras no território e um diretor sábio como Browning, consegue mostrar isso sem que haja violência ou conspirações entre os personagens. A duração de muitas cenas fica nas mãos dos atores e se eles demoram para levar uma taça de vinho até a boca com os pés, ou para completar uma frase, de forma clara ou não, lá estará a câmera, paradinha, com toda a paciência do mundo.

As gentilezas concedidas por trás das cortinas, são o resultado de um amor familiar, não de pena. Agora, se a deficiência não os impede de achar um lugar ao sol, ela também não afasta os comentários desumanos. Entre os que mais sofrem, está o atormentado Hans, um adulto com a estatura, as feições e a voz de uma criança. Ele está um patamar acima de todos os outros empregados do circo, pela eloquência e educação nas suas palavras.  Essa superioridade, que de modo algum o torna um esnobe, atiça a veia cômica de quem o enxerga como nada além de uma gracinha, com seu charuto, suas roupas pomposas e sua aparência infantil.

Para a felicidade de Hans, sua noiva, Frieda, possui as mesmas características físicas que ele e também sofre com a atenção não requisitada. No núcleo menos excêntrico do filme, Venus, a treinadora de animais deu um fora no namorado folgado, conhecido no circo como Hércules. O fortão não fica solteiro por muito tempo, já que a trapezista Cleópatra não demora para se jogar em seus braços. Tudo na surdina, já que a piada da vez entre os artistas, é assistir Cleópatra encorajando os avanços românticos de Hans, fazendo com que o coitado acredite que o amor é correspondido e se afaste cada vez mais de Frieda.

Freaks_02Cruel, mas não tão distante de tudo aquilo suportado por Hans e seus amigos, em outras ocasiões. A verdadeira maldade começa, quando Cleópatra descobre uma informação por acaso e começa um plano diabólico. Hans é um herdeiro de uma grande fortuna e não seria um problema fazer com que ele se case com ela. Mais fácil ainda, seria se livrar de um marido tão frágil, com a ajuda de Hércules, antes mesmo de consumar o casamento. 

Até hoje, Monstros pode ser considerado ofensivo, uma obra que não faz nada além de explorar a imagem de gente com deficiências severas, como os espetáculos circences do século passado faziam. O núcleo dos horrores, as atrações secundárias. Um filme encurtado, banido, quase processado nos tribunais. Uma injustiça! Como dismistificar sem mostrar? Que outra forma teríamos de entender todo o potencial destas pessoas? Como saber o quanto as aparências enganam? Se nem Cleópatra, que estava com eles o tempo inteiro, antecipou o quanto eles eram leais uns aos outros… Quem poderia imaginar, se ninguém mostrar, que a reação deles a um ataque violento, seria tão normal quanto a nossa. 

Advertisements