Dirigido por Jonathan Levine
Dirigido por Jonathan Levine

A garota mais popular da escola, não consegue se livrar de garotos com mãos bobas e de garotos com mãos perigosas.

 

 

 

 

 

Não é o procedimento padrão em filmes de terror, principalmente naqueles com adolescentes na floresta, ter uma história primária tão longa e cheia de detalhes, antes que as mortes comecem. Uma introdução encorpada, apoiada em uma trilha sonora underground, é muito bem vinda, só que estimula análises e isso é um problema em um filme com um twist no final.

O assassino não é um segredo. Ele usa uma máscara, se move nas sombras, mas antes, bem antes da carnificina começar, ele já estava matando. A decepção é que, nem o grande segredo do filme, é imprevisível. Em defesa do diretor, que tentou dar uma turbinada na fórmula, quem não prestou atenção a certos detalhes, no interminável prelúdio do filme, pode se surpreender até com as duas revelações.

Mandy Lane é linda! Em uma escola cheia de beldades, ela consegue ser a favorita de 99,9% dos garotos héteros que cruzam o seu caminho. Os olhares de desejo são inevitáveis, os de inveja também. Ela já deveria estar acostumada com a atenção, mas a jovem é diferente. Uma praticante de atletismo, sem vícios e sem disposição para bobagens juvenis. Ela é a garota perfeita, a sobrevivente nata.

AlltheBoysLoveMandyLane1Desde que Mandy cortou relações com o melhor amigo, ela se mostra mais receptiva e tenta ampliar o número de conhecidos. Não digo que ela faz novos amigos, porque ela não tem nada a ver com a nova turma. Jovens com muitos recursos e facilidades, mas inconsequentes e sem rumo. Mesmo entre eles os laços não são muito fortes, então não é de se admirar, que Mandy se comporte de forma reservada. Mas, antes mal acompanhada, do que sozinha nos finais de semana, certo?

Três garotas e três garotos, indo para a casa de campo de um deles. Muita paquera, muito sexo, mas nenhuma gentileza ou respeito, para serem casais oficiais. Os meninos vão porque Mandy vai. As meninas também, porque quanto mais tempo passam ao lado da musa, mais homens acabam atraindo. Playboys e líderes de torcida com problemas de auto-estima, tentando se aproveitar da única bem resolvida entre eles.

O filme não funciona, se ninguém acreditar que uma simples adolescente possa causar tanto alvoroço. Então, de vez em quando, a beldade se despe, mexe no cabelo ou diz alguma coisa que a separa do resto do grupo. Alguma coisa sincera e inteligente. Ela é também a mais alerta e nota antes de todos, que a propriedade tem um intruso.

AlltheBoysLoveMandyLane2Apesar da inédita presença de um caseiro e da revelação precoce do assassino, os adolescentes seguem o plano familiar, se afastando uns dos outros durante a noite, para facilitar o trabalho de quem segura a faca. As mortes não são as mais criativas, mas existe um elemento de sadismo, típico de slashers. Nem parece que até então, estávamos assistindo a um pseudo drama indie, no estilo de Kids ou Trainspotting, cujos plots servem de alerta sobre a juventude moderna.

Tudo Por Ela é bem interessante. Uma história de obsessão generalizada, por um ser intocável. Eu não acredito que todos amassem Mandy Lane, apenas um, um era realmente apaixonado, o resto buscava conexão, apesar de serem muito cínicos para admitir isso. Minha única reclamação, é não ter sofrido com a surpresa final, mas os meus sentidos de fã do terror, estavam aguçados demais. A cabana na floresta, não era uma cabana, os casais não eram casais, o assassino usava uma espingarda e os jovens eram supervisionados por um adulto responsável. Tinha alguma coisa errada com esse slasher. Então, obviamente, nem tudo era o que parecia ser!

Advertisements