Dirigido por Drew Goddard
Dirigido por Drew Goddard

Um fim de semana em uma cabana isolada, se transforma em um pesadelo arranjado, para cinco jovens.

 

 

 

 

Não começa como um filme de terror e também não termina como um, mas os dedicados profissionais da terrorlândia, ou o que quer que esteja por trás de tudo isso, estão fazendo até hora extra, para que muita gente morra dolorosamente.

O Segredo da Cabana dá a impressão de ser igual aos outros filmes de terror, mas esse era o objetivo. Colocar os fãs do gênero na zona de conforto e depois, puxar o tapete de todo mundo. Na verdade, é mais do que isso. O terror é promovido, com todos os estereótipos, como algo indispensável para a humanidade.

São cinco jovens, como sempre foi e sempre será. Um casal oficial, composto por um atleta e uma promíscua, um nerd, uma virgem, que nem é mais, mas foi o que deu pra arrumar e por último, o idiota do grupo. A cabana é aquela pocilga, que só aguenta ventos fortes, se estes são provocados por assombrações. Antes de chegar nela, eles passam pelo mesmo posto de gasolina de sempre, “gerenciado” por um caipira cheio de enigmas.

the-cabin-in-the-woods1De volta ao centro de comando, que funciona como qualquer empresa, um quadro branco expõe a história do terror, na forma de vilões familiares. Apostas são feitas e parte do processo é manipulado, mas no final das contas, se as ovelhas a caminho do abate, não se comportarem como o esperado, a operação não funciona. Mas que operação é essa? Além dos objetos de praxe, que servem como porta de entrada para assassinos de todo o tipo, o local está cheio de câmeras. Os jovens escolhem quem irá atacá-los, sem querer, mas não por acidente, quando escolhem um dos objetos.

Motivo para um massacre, nunca foi o ponto forte de nenhum filme de terror. Continua não sendo aqui e continua não sendo um problema. O final, ou o mais próximo que se chega de uma conclusão, não é o maior atrativo do filme. A quarta parede é derrubada simbolicamente, quando levamos um susto completamente fora de hora, logo no início. A partir dali, é só surpresas. O que é um feito e tanto, considerando que os jovens, atendendo a todos os clichês, se dirigem ao cenário oficial dos massacres sem sentido.

Na primeira metade do filme, as coisas dão errado para as vítimas em observação. Quem está no comando não precisa do sangue da virgem, contanto que ela sofra. Já o resto do grupo, ao contrário do que sempre pensamos, é indispensável. Na segunda metade, que é a melhor parte, os funcionários com os seus crachás e seus cafezinhos, também tem a sua cota de surpresas, por culpa da própria negligência. Os planos vão por água abaixo, exatamente por um trabalho mal feito, que permitiu entre as vítimas um homem perspicaz e cheio de coragem, na pele de um idiota.cabin-in-the-woods2

Morte não é o suficiente, ou os filmes de terror seriam compostos principalmente por acidentes de trânsito ou personagens com doenças terminais. Cada cultura determina, através de seus pesadelos coletivos, como os pecadores devem pagar pelos seus erros. Não precisamos apenas do sacrifício, mas de um ritual. O Segredo da Cabana é uma sátira? Um modo de parodiar o gênero, criticando a sede de sangue de quem o assiste? Quem está realmente no comando? Nós? Se for… tudo bem, contanto que a virgem sofra!

Advertisements