Dirigido por Tobe Hooper
Dirigido por Tobe Hooper

Visitando o túmulo do avô em uma cidade rural, dois irmãos e seus amigos se tornam o alvo de uma família de canibais.

 

 

 

 

 

A melosa narração que introduz o filme, nos leva a acreditar que o Massacre da Serra Elétrica é uma parte horrenda da história criminal do Texas, um estado norte-americano famoso pelos seus cowboys, os magnatas do petróleo e a simpatia pela pena de morte. Mas se isso fosse verdade, o mau gosto que domina algumas cenas seria imperdoável. Então vamos nos livrar da culpa e se o estômago permitir, curtir a carnificina.

Uma notícia bizarra é destaque na rádio local. Um ladrão de cemitérios que ignora os pertences dos mortos, mas leva os corpos, as vezes inteiros, as vezes em partes. Um grupo de jovens, ligados por sangue ou amizade, visita o túmulo do avô de dois deles, para se certificar de que o local está intacto. No caminho de volta, em um veículo que lembra um pouco a van do scooby doo, eles dão carona para o funcionário de um matadouro, com o raciocínio lento e uma paixão por fotografia e pequenos objetos cortantes, de quem eles se livram o mais rápido que podem. Mas ele não é o único de quem a gente se aproximaria com cuidado. Enquanto a Mystery Machine passeia pelo campo, os desdentados e simplórios tipos locais nos revelam em que mundo estamos entrando.

The-Texas-Chainsaw-Massacre2Naquela região desprovida e deserta, os jovens chegam quase sem gasolina na casa que pertenceu à familia de dois deles. Enorme, mas caindo aos pedaços, a construção provoca mais risadas do que recordações. Já a casa vizinha, cuja área externa é mais bem conservada e convidativa, abriga a família mais prendada que eu já vi, capaz de reciclar qualquer parte do corpo e transformá-las nos mais criativos objetos de decoração.

A matança começa sem nenhuma cerimônia. O trabalho nos matadouros lhes deu algum conhecimento, mas os assassinos são tão atrapalhados e infantis, que a execução das suas “tarefas” oscila entre hilária e angustiante.

O filme não tem oficialmente um personagem central, mas nasceu aqui, um ícone do cinema de terror. Leatherface, o encarregado do corte e da costura e o mais perigoso do bando, com sua insuperável e inspiradora máscara feita de pele humana, sacudindo aquela motosserra no ar como se fosse um brinquedo e roubando todas as cenas em que aparece.

Texas chainsawMesmo sem muita conexão com as vítimas, é doloroso vê-las nas mãos daqueles homens doentes. É uma família repleta de marginais castigados pelas próprias limitações, que em um determinado momento decidiram explorar os outros para obter o seu sustento. Mas o único erro dos jovens foi a falta de sorte, não havia espaço para o sadismo. A diversão excessiva com aquela situação, demonstrada por vilões que mal entendem o que estão fazendo, faz com que o filme transcenda o seu baixo orçamento. O desespero de quem está sofrendo, aliado ao realismo das filmagens, provocam um sentimento essencial mas não prioritário em muitos filmes do gênero, o medo. Nada parece impossível de acontecer e quando alguém grita por socorro, a gente não relaxa até que o sofrimento acabe.

Não existem mulheres naquela terrível família. Talvez os solteirões possam ter flertado com a idéia de manter uma das jovens com eles, nem que fosse para passar uma vassoura naquele museu de biologia que eles chamam de casa. Mas a geladeira ainda precisa ser abastecida, não é verdade? De qualquer forma, aqueles homens já aprenderam a aliviar a solidão. O que não falta no cemitério é cadáver de todos os sexos, idades e estágios de decomposição.

Advertisements