Image
Direção de Ridley Scott

A nave espacial Nostromo intercepta o que parece ser um pedido de socorro vindo de um planeta próximo. Durante a investigação no local, um ser alienígena se prende à um dos astronautas, deixando a equipe sem escolha a não ser levar ambos de volta para a nave.

 

 

 

É incrível que mesmo sendo lançado tão próximo de 2001, Uma Odisséia no Espaço, o filme tenha conseguido a proeza de ao mesmo tempo se distanciar em termos de narrativa, e se igualar em termos de mérito ao clássico de Kubrick.

A tripulação não é composta por destemidos exploradores, mas por mineradores fazendo um trabalho considerado corriqueiro. Não é curiosidade ou heroísmo, mas uma obrigação contratual que os força a verificar a procedência da transmissão. Ripley, a garota que sabe se cuidar sem a ajuda de um homem, se tornou a primeira e até hoje, a mais notável de sua espécie.

AlienDurante o filme, presenciamos a coexistência entre tecnologia avançada e costumes banais. Os integrantes da nave conseguem alcançar distâncias incríveis, com o auxílio de casulos que os permitem dormir por meses sem prejudicar seu metabolismo, mas eles fumam, comem mal e suas vestimentas não lembram nada oficial ou especialmente desenvolvido para a missão. Até um gato eles carregam a bordo. É como se o futuro tivesse sido adaptado ao cotidiano, mais do que o contrário. Por isso eu considero Alien um divisor de águas. O supercomputador chamado “Mãe”, responsável por todo o funcionamento da Nostromo, não é exatamente um H.A.L. 9000 em termos de soluções, mas é bem menos nocivo. Não virá dele uma solução milagrosa para o problema. Se os seres humanos não sabem com o que estão lidando, “Mãe” não sabe como ajudar.

Kane, o curioso, é o desafortunado que volta pra nave com sabe-Deus-o-quê preso ao redor da cabeça. Quando o bicho se solta sozinho já morto, nós temos a breve impressão de que tudo vai ficar bem. Mas o perigo real já havia sido implantado. A cena da sua morte é uma das mais famosas da história do cinema. Inesperada e grotesca, é filmada de forma caótica, enfatizando a surpresa geral de público e personagens. Enquanto a equipe elabora um plano, para eliminar um bebê alien recém saído de Kane, a criatura se desenvolve rapidamente em sua versão adulta.

alien-2A aparência do Alien é icônica. Sua cabeçona em formato de capacete de ciclista, consegue ser ainda mais ameaçadora quando expele outra cabecinha de dentro dela. Pegajoso, babão e letal, ele jamais poderia ser confundido com um ser amigável. Sua coloração e forma o camuflam dentro da nave. Todo o terror do filme vem do fato de que ele tem passe livre pelas instalações e pode chegar perto sem ser notado, atacando a qualquer momento. Ele é o vilão da história mas, como diz um personagem, é também um sobrevivente. Sua única motivação é a perpetuação de sua espécie, sem culpa ou remorso.

Através de alguns takes externos e da natureza da missão inicial, nós temos uma idéia das dimensões da nave. Os seus corredores podem parecer confusos para não tripulantes, mas cada sessão ou cômodo tem uma personalidade. Sabemos que ela é gigantesca, que tem vários andares, mas isso não dinimui a sensação claustrofóbica que vai piorando a cada tentativa frustrada de cercar a criatura.

Este filme não se apoia em táticas baratas de choque, já que mesmo sugerindo bastante violência, a maioria das mortes não é nem mostrada. Ele também funciona como uma espécie de denúncia. No início da história, os trabalhadores discutem sobre condições de trabalho, salários e bônus, como mineradores terrestres fariam em reuniões de sindicato. No final, mesmo tendo uma noção da ganância da empresa para a qual trabalham, eles mal acreditam qual é a verdadeira prioridade da missão. Quando descobrimos que o verdadeiro supercomputador da nave está facilitando a fuga do alienígena, este já dominou o território e metade do elenco.

Advertisements